Defesa Civil declara estado de emergência por baixa umidade no DF


Após dois dias consecutivos com registro de umidade relativa do ar abaixo de 12%, a Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil declarou estado de emergência no Distrito Federal nesta quinta-feira (5). A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o ideal é que a umidade fique em torno de 60%. Com índice tão baixo, a recomendação é intensificar os cuidados para manter a hidratação e enfrentar a seca sem maiores danos.

As principais indicações do órgão são evitar a prática de atividades ao ar livre no período das 10h às 17h, aumentar a ingestão de líquidos, evitar banhos prolongados com água quente e muito sabonete, evitar o uso excessivo de ar-condicionado e usar protetor solar. Além disso, também é importante o uso de hidratante e de umidificadores de ambientes.


A Defesa Civil do DF pede uma atenção especial para escolas e solicita que adotarem os seguintes procedimentos:


– Manter bebedouros, inclusive de emergência (potes e garrafas) em número acima dos já existentes, com boas condições de higiene e qualidade da água;


– Perguntar com frequência se algum aluno está com vontade de beber água;

– Estar atento aos alunos com ânimo abatido ou queda rápida de rendimento e comunicar a direção da escola;

– Estar atento para detectar crianças enfermas, principalmente naqueles quadros com perda de líquidos (febril, diarreia, gripe, tosse, etc.);

A Defesa Civil do DF pede uma atenção especial para escolas e solicita que adotarem os seguintes procedimentos:

– Manter bebedouros, inclusive de emergência (potes e garrafas) em número acima dos já existentes, com boas condições de higiene e qualidade da água;


– Perguntar com frequência se algum aluno está com vontade de beber água;

– Estar atento aos alunos com ânimo abatido ou queda rápida de rendimento e comunicar a direção da escola;

– Estar atento para detectar crianças enfermas, principalmente naqueles quadros com perda de líquidos (febril, diarreia, gripe, tosse, etc.);

– Recomendar aos alunos menores que tragam garrafinhas com água para à escola;

– Criar oportunidade para que as crianças umedeçam as narinas e a face, pelo menos uma vez no período;

– Promover reuniões com os pais ou responsáveis, se possível com apoio de um médico ou agente de saúde dos organismos locais da Secretaria de Estado de Saúde, orientando-os sobre procedimentos domiciliares para prevenção da desidratação;

– No caso de desmaios, tonturas, cãibras e mal estar, paralisar de imediato a atividade do aluno, umedecer as têmporas, face e narinas e providenciar atenção urgente do médico ou agente de saúde. Comunicar aos pais do aluno e recomendar providências;

– Manter elevada vigilância de higiene no ambiente escolar, pátios, sanitários e salas de aula;

– Umedecer diariamente, se possível, o piso das salas de aula e pátios cimentados ou cerâmicos;

– Acompanhar com maior atenção às crianças com aspectos de aparente desnutrição;

– Observar e recomendar às crianças que usem vestimentas adequadas à temperatura do dia ou da hora da aula. Note que a temperatura deverá elevar-se a partir deste período do ano e que nas últimas aulas do turno da manhã e primeiras do turno da tarde estará mais quente;

– Promover atividades educativas com alunos em torno do assunto DESIDRATAÇÃO, destacando a importância da higiene pessoal do ambiente e dos alimentos. E dando uma maior atenção aos procedimentos para amenizar os efeitos da baixa umidade do ar.

A Defesa Civil também orienta a toda a população do DF para minimizar os efeitos à saúde humana e adotarem os seguintes procedimentos:

– Evitar aglomerações em ambientes;

– Aumentar a ingestão diária de líquidos, independentemente de apresentar sede ou não. Beber pelo menos seis copos d’água de tamanho médio;

– Evitar os banhos prolongados com água quente, bem como o uso excessivo de sabonete para não eliminar totalmente a oleosidade natural da pele;

– Pingar duas gotas de soro fisiológico em cada narina, pelo menos seis vezes ao dia. Esse procedimento evita o ressecamento nasal e a ocorrência de sangramento;

– Evitar ligar aparelhos de ar-condicionado, que retiram ainda mais a umidade do ambiente;

– Colocar toalhas molhadas e bacias com água nos quartos durante todo o dia. Isso ajuda a manter o ar ambiente mais úmido;

– Trajar roupas adequadas às condições do tempo. No calor, usar roupas leves e se possível de algodão;

– Fazer refeições leves, incluindo frutas e verduras sempre que possível;

– Evitar exercícios físicos no período compreendido entre 10h às 17h. Neste período, a insolação e evaporação atingem seus índices máximos;

– Usar cremes hidratantes ou óleo vegetal em abundância para evitar o ressecamento da pele;

– Optar pelo uso de sombrinha ou guarda-chuva no período mais quente.

– Os pequenos merecem cuidados ainda mais especiais, pois têm a pele mais sensível e vulnerável. A hidratação é essencial, principalmente de dentro para fora com a ingestão de bastante líquido. Os pais precisam garantir que precisam redobrar os cuidados para garantir que as crianças estejam sempre bem hidratadas.

– Os idosos, suscetíveis a problemas respiratórios, também exigem atenção.

– A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil continua a monitorar divulgará avaliação quanto ao Estado de Atenção e a necessidade de novas medidas. (Com informações da Defesa Civil)

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2018 por professora Eliete Bahia.